quarta-feira, junho 08, 2016

Shoujo x Shounen – Porque eu não acredito mais nisso



Faz algum tempo que quero falar sobre o assunto. Depois mesmo que escrevi o texto sobre minha volta para o blog (esse aqui), percebi o erro que as classificações de animes e mangás era.

Mas só depois de ler o texto do É só um desenho resolvi colocar no papel (ou na tela) minhas ideias.

De acordo com É só um desenho, essas classificações em shoujo, shounen, senien... serve apenas para os mangás e se refere ao tipo de revista em que determinada história será publicada. Mas para animes isso não seria comum. Essa é uma prática dos ocidentais.

Fazendo minhas resenhas, senti a dificuldade de classificar alguns animes. E mais do que isso, senti desconforto em afirmar que tal desenho se destina ao público feminino ou masculino.

Nossa sociedade está em busca de uma igualdade entre gêneros, identidade e orientações sexuais. Eu espero mesmo que seja uma luta social e não de apenas de alguns.

Mas o texto não é sobre isso. É sobre como essa igualdade me motivou a repensar meu próprio uso dessas definições em animes e mangás.

Já existem as classificações de acordo com a temática de cada obra (romance, ação, ficção científica, suspense...), porque além delas, devemos separar também pelo tipo de público?

Um menino pode querer ler um romance, uma garota pode querer ver um anime de ação. As coisas deveriam ser mais simples e livres do que isso. São obras ficcionais e quem decide se quer vê-las sou eu.



Com certeza alguns pensarão: “Mas menina gosta mais de histórias melosas e meninos de porradaria”, claro que sim, isso é normal, porque nossa cultura, nossa sociedade, nos ensinou assim. Somos um reflexo daquilo que nossa sociedade reproduz. Não estamos imunes ao discurso dominante. Por mais que acreditemos que gostamos daquilo por questões puramente individuais, em algum ponto, aquilo na verdade foi transmito a nós pelo discurso social do que é aceitável.

Essa questão é muito profunda e deve ser tratada com cuidado. Mas o ponto que quero chegar é da minha necessidade em quebrar essas amarras de distinções.

Eu sempre gostei de animes de ação, mas também gosto de romance, drama, suspense e ficção. Sendo assim, por que eu, como menina, devo ser alocada na categoria shoujo ou josei?

Ah! Outra coisa! Eu não estou tratando aqui da classificação por idade. Essa classificação existe para que crianças não vejam temas mais sérios ou chocantes, ela existe para dizer o que é indicado para cada faixa etária. E, embora ela tenha problemas, essa classificação atinge seu objetivo de alguma forma.

Acho totalmente desnecessária uma classificação pelo público, se já temos as classificações pela temática. Não sei se consegui chegar na conclusão que eu queria, se todos conseguiram acompanhar meu raciocínio.

Mas se as pessoas se desapegassem um pouco dos seus preconceitos, poderiam entender como a divisão menino x menina é apenas um obstáculo a liberdade coletiva e individual.

Não estou exigindo aqui uma mudança mundial na forma de classificação. Tenho certeza de que existem pessoas no Japão lutando por isso, para que essa classificação sexista seja revista em sua raiz. Mas estou apenas colocando meu ponto de vista, esperando que ele gere a reflexão em outras pessoas. Dito isso, abolirei o uso dessa classificação no meu blog. E se você achar que deve parar de usá-la também, ótimo. Se não acha, ótimo também, apenas amadureça essa discussão na sua mente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário